segunda-feira, 25 de julho de 2011

Só pra variar...

Desde garotos, "variar" faz parte de nosso repertório. Quando você mal havia começado a ler, já folheava aquela revista feminina no cabelereiro - à espera de sua mãe - sem entender bulhufas: "Não caia na rotina! 20 dicas infalíveis para manter seu parceiro satisfeito!". Um pouco mais tarde, lá pelos 14 anos, enjoou de ficar com uma menina só. Pra variar, começou a freqüentar bailinhos e festas de 15 anos, atrás de novas ficantes. Até que descobriu a "micareta" e sua variedade de cores, bocas e línguas. A saga continuou em Porto Seguro, na viagem do terceiro ano e no ínicio das festas de faculdade. Sempre variando.
Mas eis que você virou um Homem. E cansou dessa vida errante e cheia de sapinho. Começou a dar mais valor para as peguetes e se acabou...namorando sério.

Só que a variedade já está incorporada em nossas mentes e...não é nada fácil se livrar desse vício.
E coincidentemente, voltamos à estaca inicial:
"Não quero cair na rotina! Existem dicas infalíveis para eu não enjoar da minha parceira?"


1 - Varie de posição
O Kama Sutra não faz sucesso à toa. Você não precisa ter um desempenho de Diego Hipólito na cama (até porque, nesse caso, não vai gostar da fruta...hehe), mas variar as posições é essencial para que um jeb seja bom a longo prazo.
Hummmm....
Uma hora você vai enjoar do papai-e-mamãe. Outra hora de frango assado. Ninguém come a mesma coisa em todas as refeições e acha prazeroso.
Não enjoe de mim, tá? Fiz até bronzeamento.
É claro que dependendo de onde você está, as limitações espaciais podem prejudicar sua criatividade. É aí que entramos no segundo ponto:

2 - Varie de local
Seu quarto é legal. Mas não tem espelho no teto, por exemplo.
A banheira do seu apartamento é gostosa. Mas não é tão grande quanto a do banheiro dos pais dela.
A mesa de jantar é dura, o chão é gelado e a pia pode quebrar. E daí?
Inove.
Quem não tem cão, caça com gato...né?

3 - Varie o Grau de Risco
Aproveite quando seu sogro resolveu dar um rolê no parque e disse que voltava "rapidinho".
A cama dele estará disponível.
Escadas escuras, elevadores quebrados, estacionamentos lotados, vizinhos olhando.
Se existe a chance de ser pego, não hesite...Just fucking do it.
Toda essa adrenalina colabora para "inesquecibilidade" do momento.

Enfim...Não sou muito experiente na arte da monogamia, mas entendo bastante da arte de enjoar das repetidas.
Varie com sua ficante, peguete, noiva, esposa, coroa, amante, MILF, vizinha ou V.Ó.
É a melhor solução para não ter que variar entre elas.

E você? Qual outra dica daria...só pra variar?

10 comentários:

  1. sexo no bosque conta como "variar"? hahahaha

    ResponderExcluir
  2. "Não sou muito experiente na arte da monogamia" - tsc tsc tsc, vai ficar pra titia!

    ResponderExcluir
  3. Na minha posição, prefiro não dar dicas, mas belo post!

    ResponderExcluir
  4. Dica que a Raquel falou para mim: "Aproveite enquanto seu irmao foi malhar e dê uma rapidinha na cama dele"

    ResponderExcluir
  5. Acho bosque bem válido nesse post!!! Em breve teremos essa opção novamente!!! Hahaha!!! Belo post coca!!!

    Abrax!!!

    ResponderExcluir
  6. Me desculpe... + é td paleativo... a única solução é:

    4- varie de parceira.

    Vc pode tentar d td, td p/ retardar o inevitável. Pq a sua primeira frase é cláusula pétrea do comportmento humano. (homens e mulheres)

    Isso me lembra um outro assunto q podia ser tema d publicação:

    "Trair para salvar a relação" Realidade ou Mito? tenho ouvido falar bastante nisso ultimamente. Principalmente entre as trintonas...

    ResponderExcluir
  7. Pedro, eu discordo! Realmente acho que nossas mentes estão condicionadas a querer variar, mas você nunca ficou com alguém tão marcante a ponto de sempre lembrar de momentos bons com ela?
    Acho bastante provável que um dia você conheça alguém que seja tão marcante a ponto de querer limar outra mulheres para não perdê-la!

    ResponderExcluir
  8. Sempre me perguntei o que faria alguem achar suas opniões tão relevantes à ponto de escreve-las em um blog à espera de que o mundo leia...
    hoje acabei entrado nesse blog, terminei todos os post em cerca de 1 hora de leitura consecutiva e respondi minha pergunta:
    Não é só explicaçoes sobre o atentado em Oslo, não são só do Uruguai ganhando a Copa América, nem é de Footballl Manager que a gente vive.
    o mundo procura respostas para o banal.
    O mais próximo até hoje que consegui passar de uma revista feminina são as colunas de Diogo Mainard .
    Aos 13 não li "Como treinar para não faze feio no seu preiro beijo", aod 15 nao participei do quizz "ele(a) esta a fim de voce?", aos 20 nao abri a reportagem "ele(a) está me traindo?", e aos 50 espero não acabar num site de "potencialize sua vida sexual em 5 passos".
    Mas a verdade é que seu blog me pareceu meio uma mistura de experiências Freakanomics e Freudinas, que juntas criaram algo genial: a Revista Nova do mundo masculino.
    E pela primeira vez me identifiquei com as experiencias contadas, elas são reais, críticas e caricatas na medida certa.
    Tenho 25 anos, sexo feminino (ou pelo menos era oq eu achava ate me enquadrar e tds as descrições de um Cafa)
    e achei q um pouco de incentivo não faria mal a ninguem!
    ps. e relaxa ai no machismo mermão!! tem mt cara mais sheylla nesse mundo que nós!

    ResponderExcluir
  9. Obrigado pelo comentário (Anônimo acima)! A cada post tento ser menos machista, mas às vezes é engraçado usar do artifício do "macho-alfa-imbecil" nos textos.
    Confesso que no começo achei que você fosse só criticar acidamente o blog, mas no final acho que você entendeu bem o porquê do blog existir. É apenas uma tentativa de debater assuntos banais por um ângulo diferente.
    Por sinal, já adicionou o Jebeando no facebook?

    ResponderExcluir
  10. Cmentado sua respota para o meu post:

    Concordo c/ vc Jebeando!

    Concordo por um dia.
    Concordo por um mês.
    Concordo por um ano.
    Concordo por uma década!

    + será q concordo p/ uma vida inteira?

    E outra, o q estou falando não é trocar d parceira arriscando perder a atual. É dar uma variada p/ continuar c/ a atual. Saco?

    Acho engraçado como nós ainda somos tão conservadores q não conseguimos imaginar uma relação sem destruir outra.
    Mesmo sendo as duas relações totalmente diferentes.

    ResponderExcluir