domingo, 17 de outubro de 2010

Drink'em Girls!!!

Existem formas e formas de se beber. Beber socialmente, beber para afogar as mágoas, curtir uma fossa, se esbaldar para lavar a alma, beber todas pra esquecer alguém ou liberar o stress e outras mil maneiras.  Já teorizei neste blog sobre os benefícios do álcool pra quem tem ou quer ter uma night mais animada, mas hoje o que quero debater é a questão da bebida por outro ângulo: a preferência etílica.
Estava numa balada de campinas outro dia e, tamanho o agito, comecei a divagar sobre os drinks que o mulherio pedia no bar: uma Margherita aqui, uma Piña Colada ali, um Bloody Mary acolá e notei que existe uma certa coerência no comportamento das mulheres x drink pedido. Obviamente que não é algo do tipo: "Olha aquela mina pedindo um Sex-on-the-beach...Certeza que curte um rola na areia", mas sim uma análise mais sutil e que exige perspicácia de quem interpreta a situação (soou muito "malandrets" isso...haha).
Nessa mesma balada, reparei que a mina que chamava mais atenção no meio na multidão estava tomando uma singela Skol Beats, no gargalo. A imagem que ela passava era: apesar de ser bem gata, curte uma balada e não tem muita frescura, já que está tomando cerveja e ainda por cima no gargalo. Isso me fez pensar que cada drink representa um pouco do gosto e do comportamento social das pessoas na balada.
Agora, reflita comigo. No caso das mulheres, o que cada uma dessas bebidas diz a você?
  • Coquetel sem álcool = Mina sem sal, que não curte beber e ninguém que beba
  • Energético puro = A palhaçona da roda. Se faz de malandra, entendida de todos os assuntos, namoradeira, mas não pega ninguém.
  • Tequila = Pelo ritual com as amigas, geralmente uma chacoalhando a cabeça da outra, quer demonstrar ao resto da balada: "Uhuuuuuu!!! Solteironas no pedaço!!!"
  • Uísque + Energético = Bebida um pouco masculinizada e consumida pelas patrícias que vão na onda dos maurícios.
  • Vodka + Energético = De gosto refinado, sabe curtir um agito sem perder a pose. Ótima opção para uma investida a longo prazo.
  • Absolut + Red Bull = Quer passar a imagem de ser "cool", mas na realidade é a falsa humilde. Só usa utensílios de marca e é que nem piscina: "os gastos com manutenção não compensa o tempo em que se passa dentro dela"
  • Cerveja = depende da marca:
    • Bavaria, Belco e Polar = de classes mais baixas, alta probabilidade de jeb* imediato.
    • Itaipava = Estudou na PUC
    • Skol e Brahma = fã de um churras e truco.
    • Bohemia e Original = curte um barzinho com amigos na vila Madalena
    • Skol Beats, Stella Artois, Heineken = acessível e curte uma baladinha
    • Devassa = precisa falar???
Para os "pegadores de plantão", vale a dica...fique atento ao drink que a pretendente pedir. Se no dia-a-dia dizem que você é o que você come, na balada você é o que você toma.

Música do dia: 

domingo, 3 de outubro de 2010

(In) Coerência Jebística

A incoerência jebística é um "mal" que atinge, na maioria, meninas inocentes. Alerta: Esse mal pode gerar frustração.

Basicamente, a incoerência jebística é o não-seguimento de um padrão imaginado como "natural" para a evolução de um relacionamento. Traduzindo: é quando um cara sai com uma mina, esperando que o relacionamento continue evoluindo em direção à cama e...nada acontece. Seja por insegurança da mulher, por alguma noinha com o corpo ou outro motivo qualquer, muitos homens ficam frustrados quando rola um retrocesso na escalada rumo ao jeb*.
Exemplo:
  • O casal sai pra uma balada. Bebem bastante. Vão para casa e rola de tudo, menos sexo. Resolvem sair novamente. Cria-se uma expectativa grande por parte do homem: "É hoje!!!". E...a mulher resolve se segurar e não deixar nada rolar além de uns beijinhos = Frustração.
Isso é uma clara demonstração de incoerência jebística. Já é sabido que cabe à mulher liberar ou não, ou seja, ela tem o controle da situação até o momento do ato final (vide Teoria da Balança). Mas o que os homens esperam é que pelo menos uma lógica seja seguida.
Cada mulher tem seu tempo. Se você, leitora, acha que é muito vulgar liberar tudo na primeira noite, OK. Se você acha normal, melhor. Mas não é com isso que os homens mais se irritam. Nós entendemos que cada uma tem seu tempo e, se valer a pena, vamos esperar o quanto for preciso pra chegar ao "jeb". 
O que nos irrita e frustra é a incoerência nas atitudes. Bebida não é desculpa. A vontade existe independentemente do álcool. E se existe, uma hora vai rolar. E somos compreensivos o suficiente para entender caso não role por motivos de força maior - Chico, Presença de pais no recinto, Falta de oportunidade de ficarem sozinhos.
Para que vocês entendam melhor, vou dar um exemplo de como a questão da coerência serve para ambos os sexos. Imagine um mulher fogosa. Multiplique por 10. Agora imagine um cara "sem pegada". Segue exemplo abaixo:
  • A mulher, fogosa, dormiu com o cara na primeira noite que se conheceram. Rolou de tudo. Ela, sentindo-se sozinha no dia seguinte, resolve ligar para o cara para que ele durma com ela de novo. Ele aceita o convite. Só que ao chegar, ela tenta esquentar o "momento" e ele lança: "Calma...acho que estamos indo rápido demais". E passam a noite inteira apenas com abraços e beijos = Frustração
Portanto, apenas para provar meu ponto, afirmo que a frustração proveniente da incoerência jebística pode atingir qualquer um dos sexos. Mas como a situação acima descrita é rara,  digo que esse "mal" atinge, em sua maioria, meninas inocentes e não muito experientes no assunto. 
Pode ser que, na cabeça delas, isso seja uma benção, um forma de evitar o pecado da carne ou uma atitude a se admirar. Não recrimino. Mas como homem, alerto: Nunca se sabe quando a paciência acaba.

Música do dia: