quarta-feira, 17 de março de 2010

O pecado da carne


Uma de muitas teorias que tenho pensado (na verdade é uma hipótese, mas usarei o termo teoria porque me parece mais atrativo) é a "teoria da balança". O termo balança designa aqui, o poder que as mulheres têm de controlar uma relação até o momento em que decidem "se entregar" ao parceiro. Espero que não encarem esse post como uma opinião machista. 
Fato é que a mulher detém o poder sobre a relação até o ponto em que decide (se) liberar. É um processo natural da relação, visto que o homem tem que conquistar cada passo adiante na relação, fazendo por merecer os avanços permitidos pela mulher tal qual um alpinista numa escalada rumo ao cume (minha deixa para mandar uma abraço ao leitor Diogo, que se considera um alpinista em suas relações). Então, a partir do momento em que a mulher bem entende que deve se deixar levar pelas emoções e não pelas razões, a balança se equilibra para o lado do homem. 
Isso porque a partir desse momento o homem passa a deter o controle, sendo que ele já atingiu seu objetivo, ou seja, visar o JEB*. Ele pode simplesmente sumir do mapa, alegando que foi um one-night-stand ou pode continuar a relação visando algo mais duradouro. No primeiro caso a moça, na maioria das vezes, vai acabar arrependida. 
Mas isso é apenas uma teoria. E quem não arrisca não petisca! Se vocês, mulheres, ficarem pensando muito em se entregar ou não, vão acabar perdendo alguns dos melhores momentos da sua vida! Acredito que se a mulher estiver preparada para ser firme ou até mesmo calejada por sofrimentos passados, ela pode se entregar sem envolver outros sentimentos que não o tesão. 

É a velha história:
"Ninguém quer mais acem se já teve filet mignon".

Música do dia (em homenagem a Marcelo Camelo -quem vi cruzar minha rua ontem):

8 comentários:

  1. Credo esse post está me parecendo bem machista mesmo. Acho q vc está se inspirando muito no Manual do Cafajeste, não é verdade?
    Fale um pouco mais de amor da próxima vez, pois jeb com amor é bem melhor, não acha?
    bjs

    ResponderExcluir
  2. hmmmm que relações sao essas heim amigo alpinista Diogo???
    Mari

    ResponderExcluir
  3. Coca, pareceu que todo homem visa o jeb e depois pensa se quer algo mais e para o lado feminino pareceu que elas tem que esperar por isso, e não se importar se o cara foi embora ou não, que é normal. Mas eu entendo o que vc quis dizer com sua teoria, o homem sempre quer agradar, o problema que o msm homem que pode querer alguma coisa é aquele que pode sumir no dia seguinte.

    ResponderExcluir
  4. Vc tem razão Yuri...este post é meio polêmico. Parece uma idéia machista, mas é claro que as relações frutíferas e duradouras como namoros e casamentos independem de apenas sexo e dessa teoria,ou seja, vão muito além.
    E nem sempre ocorre assim. Existem muitas mulheres que tomam as rédeas da situação e dominam a relação desde o primeiro encontro, impondo suas vontades e desejos, invertendo essa relação da balança.
    Espero ser mais ameno e menos machista no próximo post! haha

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Gui, Também achei o post um pouco machista. Concordo que no geral essa é a realidade mas a teoria tem muitas excessões, até pra um mesmo cara as coisas funcionam de maneira diferente dependendo do momento, da pessoa...

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho outra teoria da balança: quanto mais gorda a mina, mais fácil ela vai dar.

    ResponderExcluir