segunda-feira, 29 de março de 2010

IST

Todo grupo de amigos tem suas particularidades. Após alguns anos de convívio, gírias, apelidos e até brincadeiras são naturalmente incorporadas ao dia-a-dia do relacionamento social. Um dos grupos de amigos do qual participo não foge à regra e tem até um nome fantasia: A.M.I.G.O. (Associação Moderadora de Incoveniências Geradas por Outrém)
Mas venho aqui debater uma ferramenta que foi inventada por esse grupo para combater, de forma peculiar e de certo modo cômica, um mal que impede que amizades durem por um longo prazo: a tesoura ( 8< ), conhecida também como furação de olho, trairagem ou andré-dias. Conseqüentemente, a ferramenta a ser debatida é o IST (Imposto Sobre a Tesoura), que instaura uma multa em pecúnia para quem acaba, por ou sem querer, se envolvendo com a ficante, namorada ou ex de um associado do grupo AMIGO.
Para simplificar, o IST institui uma punição para quem tesoura o AMIGO. O IST tem o intuito de dificultar a tesoura, não impossibilitá-la. Cabe ao tesoureiro medir as conseqüencias de seus atos, já que será julgado depois. Acredito que essa ferramenta poderia ser utilizada em outras turmas, uma vez que estabelece um nível de bom-senso a ser praticado pelos membros do grupo. Fica aí uma sugestão.

A multa tende a variar em média de R$25,00 a R$50,00 mais benefícios. Algumas maneiras de cobrança adotadas são:
- 20% do valor da balada deve ser restituído pelo infrator à vítima por danos morais (caso o fato tenha ocorrido numa balada)
- Multa fixa no valor de R$25,00 por traição com beijos e R$50,00 por traição completa (entenda como quiser - caso o fato tenha ocorrido fora de uma balada).

Um exemplo prático ocorreu com o DA (participante agregado da AMIGO) que, num momento de fraqueza, vitimou o líder do grupo (NP) ficando com uma ex em uma balada. Após a CPI (Comissão Punidora de ISTs) ser validada juridicamente pelo jurista BJ, ficou instituído uma multa de 25 reais ao réu + caronas para festas, baladas e afins por 2 meses. A amizade continua até hoje, visto que o dano moral foi reposto financeiramente...
O fato é que o IST pode ajudar a acabar com conflitos entre amigos(as) que já tiveram ou querem ter algum relacionamento com a mesma pessoa de sua rede social.
Mas cuidado! Existem relatos de um possível mercado negro, em que o cara vai pra balada, fica com alguma garota e tenta empurrá-la para o outro, para se beneficiar monetariamente em cima da fraqueza do amigo.

Enfim, é apenas uma ideia. Mas pode salvar amizades.

Dica de música do dia:
Grooveshark - Uma espécie de Youtube sem vídeos, muito interessante

segunda-feira, 22 de março de 2010

Short Service Message

As facilidades tecnológicas de hoje em dia levam muitas pessoas a se desconectarem do mundo real para viverem uma vida online, onde emoções são trocadas por emoticons  :) e palavras mal colocadas podem ser apagadas com um simples Backspace. 
Após um post um tanto quanto polêmico como o anterior, pretendo dar a volta por cima debatendo um assunto que, na minha humilde opinião, diferencia muitas vezes o menino do homem: O SMS. Isso mesmo, um simples torpedo, analiticamente falando, é muito mais que "apenas uma mensagem de celular.
O SMS é um artefato tão utilizado quanto o Messenger na paquera, atualmente. Ele é umas das formas mais imparciais de se tentar uma aproximação à pretendente, sendo que nos EUA é utilizado em escala absurdamente maior que no Brasil (muito em razão das altas tarifas de telefonia por aqui).
SMS x Ligação telefônica
No entanto, o que venho debater nesse post é a diferença entre um cara tentar uma aproximação via SMS vs. via ligação telefônica. Pela sua imparcialidade, o SMS é muito utilizado pelos tímidos que não necessitam se expor numa ligação, a qual é muito mais arriscada pelos seguintes motivos:
- O silêncio constrangedor
- Engasgadas (que deixam o nervosismo transparecer)
- Palavras mal-interpretadas
No meu ponto de vista, um homem que quer mostrar interesse e segurança DEVE ligar para a pretendente, seja para combinar uma saída ou para agradecer a companhia na noite anterior. Marcar um encontro por SMS é tão broxante quanto fazer sexo virtual - e a chance de desencontros acontecerem é bem grande
Confesso que o SMS é mais prático e pode até ser mandado durante uma reunião chata. Mas mulheres, desconfiem de um cara que só manda SMS de madrugada (o famoso "booty call") ou torpedos-padrão "Estou no bar. Me ligue" ou "Que vai fazer hoje?".
Particularmente, se você quer se diferenciar da massa e quer ter suas chances de sucesso aumentadas - seja qual for sua intenção - GASTE CRÉDITO PARA GANHAR CRÉDITO, SEU MÃO-DE-VACA!


A Vivo agradece, seu morto.


PS: Mas antes, prepare-se com a LISTA DE ASSUNTOS (tópico a ser debatido em post próximo).


Jeb Song of the day:
The Dream - Mr. Yeah

quarta-feira, 17 de março de 2010

O pecado da carne


Uma de muitas teorias que tenho pensado (na verdade é uma hipótese, mas usarei o termo teoria porque me parece mais atrativo) é a "teoria da balança". O termo balança designa aqui, o poder que as mulheres têm de controlar uma relação até o momento em que decidem "se entregar" ao parceiro. Espero que não encarem esse post como uma opinião machista. 
Fato é que a mulher detém o poder sobre a relação até o ponto em que decide (se) liberar. É um processo natural da relação, visto que o homem tem que conquistar cada passo adiante na relação, fazendo por merecer os avanços permitidos pela mulher tal qual um alpinista numa escalada rumo ao cume (minha deixa para mandar uma abraço ao leitor Diogo, que se considera um alpinista em suas relações). Então, a partir do momento em que a mulher bem entende que deve se deixar levar pelas emoções e não pelas razões, a balança se equilibra para o lado do homem. 
Isso porque a partir desse momento o homem passa a deter o controle, sendo que ele já atingiu seu objetivo, ou seja, visar o JEB*. Ele pode simplesmente sumir do mapa, alegando que foi um one-night-stand ou pode continuar a relação visando algo mais duradouro. No primeiro caso a moça, na maioria das vezes, vai acabar arrependida. 
Mas isso é apenas uma teoria. E quem não arrisca não petisca! Se vocês, mulheres, ficarem pensando muito em se entregar ou não, vão acabar perdendo alguns dos melhores momentos da sua vida! Acredito que se a mulher estiver preparada para ser firme ou até mesmo calejada por sofrimentos passados, ela pode se entregar sem envolver outros sentimentos que não o tesão. 

É a velha história:
"Ninguém quer mais acem se já teve filet mignon".

Música do dia (em homenagem a Marcelo Camelo -quem vi cruzar minha rua ontem):

domingo, 14 de março de 2010

Girl, you make me feel like the very first time

Com a evolução da sociedade e a a conquista de um espaço de destaque maior, tanto no campo profissional quanto no amoroso pelas mulheres, alguns tabus caíram por terra.Um deles é a eterna dúvida de boa parte das mulheres: "Posso transar com um cara na primeira noite?"
Vou opinar sobre esse tema, mas espero que lembrem que existem homens e homens, sendo que minha opinião pode não ser compartilhada por alguns manés, brucutus ou até os mais conservadores.

Quando um cara tem interesse em uma mulher e a convida para sair, alguns pontos devem ser considerados:
- Os dois já ficaram (numa balada ou barzinho, anteriormente)?
Se isso já rolou, a expectativa por parte do homem é de dar um avanço NO SINAL (não na relação, porque ela ainda não existe). Se a mulher aceita sair com um cara que não conhece muito bem, na cabeça dos homens apenas um pensamento se passa: "Algo vai rolar!!!" (nos mais malandros talvez o pensamento seja "Vou levar pro abate").
Se ainda não ficaram, a expectativa de JEB* é bem menor. Ou o cara está muito confiante que vai ficar com a mina naquela noite ou ele não tem absolutamente mais nada o que fazer.
- Já se conheciam?
Se forem amigos há algum tempo, a situação muda de figura um pouco. Nesses casos, o JEB* vem aos poucos e não é apenas uma saída que vai selar uma provável relação sexual ou não.

Partindo do princípio que os dois já ficaram e combinam de sair para um barzinho (um ambiente propício a um 1o encontro), a maioria dos homens espera avançar um pouco a mais o sinal que simplesmente "dar aguns beijinhos". É aí que entra a dúvida de boa parte das mulheres: "Devo ceder às tentações e aos avanços masculinos, ou segurar meu ímpeto para que ele não pense que eu sou vulgar?"
O homem vai até aonde a mulher deixar.
Portanto, cabe à mulher parar onde lhe é mais conveniente. Existem mulheres que não resistem à vontade e transam na primeira vez e mulheres que preferem deixar o GRAN FINALE para uma próxima saída.
Meu ponto de vista: Quanto mais maduro o cara, menos importa se rolou na primeira vez, na segunda ou na terceira. Mas dificilmente haverá uma quarta vez se nada rolou até lá. 
Acredito que eu só discriminaria uma mulher se eu mal a conhecesse, desse um beijo numa balada e ela me dissesse: "Quero te dar". Aí eu a acharia vulgar e dificilmente rolaria mais vezes (a não ser que a seca fosse grande).
Mas tudo depende de como as coisas acontecem, de como a mulher vai lidar com a situação. Se o casal  avança passo-a-passo nos encontros que combinam, nenhum homem MADURO vai deixar de sair novamente porque a mulher simplesmente não "deu" na primeira vez que saíram.
Concluindo, se a mulher aceita um convite para um encontro a dois, os homens já esperam mais que alguns beijos. Mas não necessariamente o PACOTE COMPLETO. O que não significa que elas não possam ceder à tentação e transar na primeira noite, porque se tudo for comedido e gostoso para ambos, haverá uma próxima vez.
Minha dica: Na primeira saída, aproveite para conhecer o interessado e deixe-o NA VONTADE. Deixe para consumar o ato na próxima vez. Porque se realmente há interesse de ambas as partes, rolará outro encontro. Se não, ninguém se arrependerá de nada que fizeram por puro tesão.

Música para utilizar num primeiro encontro:




quinta-feira, 11 de março de 2010

AAA

Certa vez, quando mais novo, fiz uma promessa a mim mesmo.


"Vou parar de beber!" (porque na época eu achava que o fato de beber me deixava mais burro - aquela história de perder neurônios)
Mas experimente não beber numa festa cheia de desconhecido ou tomar refrigerante a noite toda numa balada. O que era pra ser legal se torna tão chato quanto uma aula de contabilidade.
Só que não contava com o poder que o álcool tinha sobre 3 elementos básicos:
1 - A malemolência/malandragem/ginga no xaveco
2 - O nível da pegação (inversamente proporcional à quantidade de álcool ingerida)
3 - Seu nível de exigência geral
Explicações:
1 - Você fica evidentemente mais solto a partir de alguns copos de cerveja. Isto é, se você estiver totalmente sóbrio, as chances de você travar e o assunto não fluir são enormes (principalmente quando se é inexperiente).
2 - Quanto mais você bebe, mais bonitas as feias ficam e menor é sua exigência amorosa para ter uma noite feliz.
3 - Quanto mais você bebe, menos você liga para o calor da balada, para as baforadas de cigarros na sua cara, para a quantidade de pessoas pisando no seu pé ou te empurrando na balada.
Mas vamos à verdade, é muito mais fácil paquerar com um pouco de álcool no sangue e também muito mais tranqüilo tomar um fora nessas condições (não exagere para não virar o "mala pegajoso" ou o "brasileiro que não desiste nunca" que as minas odeiam - digo isso por experiência própria).
Não quero fazer apologia ao álcool, muito menos a dirigir embriagado, mas sou favorável a deixar a vida te levar. Viver numa "nice", numa "relax", numa "boa"! Não se prive de tomar algumas cervejas ou umas caipirinhas em prol de uma vida totalmente FIT (tmabém porque os caras que conheço que só sabem falar de academia e cultuar o corpo ou são malas ou viados).
E as pessoas mais interessantes que conheço, bebem (seja muito ou pouco haha).

Uma última coisa.

Se você for para um bar tomar suco de laranja a noite toda, faça-me um favor.

NÃO ME CHAME!

Música do dia:

All Time Low - Remembering Sunday

domingo, 7 de março de 2010

Os Nerds e o Sexo

Essa semana, ao assistir ao vídeo os "Nerds e o sexo, Shakespeare e Cerveja", parei pra pensar sobre a necessidade das pessoas em fazerem sexo. O vídeo é de PC Siqueira.
Primeiramente devo comentar que o vídeo é muito bom e se o cara não for realmente um nerd, ele entende muito do assunto e é um ótimo ator. Ele debate o fato de algumas pessoas ("os nerdiossexuais") não pensarem muito em sexo e não praticarem quase nunca (de 3 em 3 anos ou mais, segundo ele).
Realmente essas pessoas existem. Eu sentia isso na minha faculdade, visto que no começo me relacionava com todos os bixos e só depois você acaba selecionando seus amigos (ou sendo selecionado). Em alguns grupos, o assunto MULHER e SEXO era meio proibido. Conversava-se sobre futebol, professores, carreira, profissão, matérias, mas nada, absolutamente nada, sobre SEXO. E os virgens que me desculpem, mas é um assunto muito engraçado!
Eu acho que nenhum NERD é completamente feliz.
Todos os NERDS que conheci até hoje, tinham algum tipo de perversão ou tendências homossexuais. Meu ponto de vista é de que, se eles tivessem alguma chance com qualquer mulher no planeta que lhes proporcionasse algum prazer sexual, eles deixariam seus Xbox's de lado. Nos EUA, por exemplo, conheci um cara que se auto-intitulava BACONMAN. Porque gostava de Bacon. Era um nerd convicto, mas nutria uma paixão platônica pela Hanna Montana (?!?!?!).
Acho que ser NERD é como vestir uma fantasia no Halloween. É se esconder da sociedade e dos desejos da carne através da desculpa de que UM Playstation, ALGUNS livros e MUITAS Playboys lhe bastam.
Muitos NERDS são dignos de dó. Falo isso com embasamento de quem conhece muitas pessoas inteligentes e não necessariamente NERDS. Um dos meus amigos mais inteligentes bebe e fuma sempre que possível, estuda quando dá e seu Hobby é "visar uma guerrinha". Portanto, não me venham dizer que ser NERD convicto não tem a ver com conseguir seduzir alguém ou não.
Zerar (= "não pegar ninguém"), não beber cerveja e gostar de Pokemón tem tudo a ver.

Peraí, tenho que voltar pro meu Playstation!

sábado, 6 de março de 2010

O silêncio vale mais que mil palavras...

Pessoas que falam demais cansam.
Falo isso sem me isentar de culpa por atropelar pensamentos com palavras muitas vezes ao dia.
Já pequei muito e ainda peco pelo excesso de palavras emitidas na hora errada, principalmente na hora da conquista.
Então aqui vai uma ideia a compartilhar.
O silêncio como ferramenta de conquista.
Já pararam pra pensar o quão misteriosa se torna uma pessoa a partir do momento que ela fica em silêncio?
Esse momento de silêncio é extremamente charmoso.
Vocês gostam de tagarelar após o sexo? Ou concordam que para curtir o momento pós-orgasmo, o silêncio é muito importante?
Acredito que as pessoas charmosas conseguem balancear uma boa troca de ideias com momentos em que deixam os outros as apreciarem em silêncio.
Raramente erramos ao ficar em silêncio. Na grande maioria das vezes, as brigas são geradas por palavras mal-colocadas ou ideias que não se casam e são expostas de maneira autoritária ou teimosa.
Invejo pessoas que são balanceadas por natureza. Porque na contramão das pessoas falantes, existem as pessoas quietas demais, que não despertam nem um pouco o desejo. Já me aconteceu com uma garota que eu ficava. As ligações para ela eram um monólogo e nossa relação baseava-se em desejo físico (obviamente não durou mais de algumas semanas).
Enfim, o silêncio nos leva a aumentar a sensibilidade de outros sentidos, como a visão, o tato e a audição (quiçá o paladar, já que falar e comer simultaneamente não são muito indicados).

Deixo ao final desse post 3 dicas:
- Tente aprimorar suas técnicas de silêncio. Tente aplicar o silêncio em momentos em que você está se achando feio, chato ou com a auto-estima baixa. É uma meditação interna com o mundo girando normalmente ao seu redor.
- Tente aplicar essas táticas de silêncio misterioso num encontro a dois. A pretendente se sentirá muito honrada se você não a interromper e a escutar (mesmo que esteja longe no pensamento).
- Escute a música Who I Am e tente entender mais de você mesmo (detalhe: eu a ouvi no multishow, me interessei pela sonoridade e ao ver de quem era, me decepcionei um pouco - não com a música, mas comigo mesmo - Nick Jonas, um Jonas Brother).

Reflita sobre isso. Talvez até seu vizinho comece a gostar mais de você.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Jeb Songs

A pedidos, me aprofundarei um poco mais em 2 temas extremamente entrelaçados.
Música e Sexo.
Os surdos que me desculpem, mas sexo sem música é quase como assistir TV no mute: agonizante. Ok, desculpem-me a indelicadeza e a falta de tato (hereditária, diga-se de passagem), mas o que quis dizer é que associo muitos dos momentos romântico-sexuais a músicas e sons.
Meu primeiro beijo, por exemplo, foi ao som de More Than Words, tocado por mim em meu violão aos 13 anos de idade numa das cenas mais demodês de meu histórico amoroso. Na 7a série, levei meu violão à escola e dedilhei os acordes da música mais famosa do Extreme para, ao final, pedir um beijo da garota desejada como se fosse algo a se envergonhar: "Você liga para as pessoas ao redor?"
Se não uma música, o som do ato em si.
Na minha "primeira vez" me lembro de estar em um carro apertado, num beco escuro e ao som onomatopéico de chups-chups, nhecs-nhecs, tchofs-tchofs, senti que já podia morrer, que tinha virado um homem de verdade.
Após muito matutar, cheguei ao consenso de que cada pessoa tem um ritmo diferente para a coisa e cada qual se excita com certo tipo de música. Existem pessoas que praticam uma modalidade mais "hardcore" e, por isso mesmo, podem gostar de Iron Maiden ou Korn durante o ato. Mas a grande maioria dos casais pratica o Jeb Casual* e acredito que estas etapas sexy-musicais podem ser generalizadas (vide lista abaixo):
  1. Preliminares - Sugiro um R&B como Nobody - Keith Sweat
  2. Introdução - Lollipop (Lil Wayne)
  3. Execução e Verificação de conteúdo - Hot (Inna)
  4. Clímax - Empire State of Mind (Jay-Z ft. Alicia Keys)
  5. Desfecho - Successful - Drake
Outrossim, sempre que ouço uma JEB SONG (música identificada para o jeb*) que ainda não conheço, paro para anotar o nome do artista e identificar um verso/refrão a fim de encontrar a faixa musical posteriormente. Espero que façam o mesmo para agradar seus parceiros(as).
Acredito que essa é uma questão razoavelmente pessoal e se eu puder contribuir que seja 1% no "enhancement" da relação sexual de qualquer pessoa através dessas dicas musicais ficarei muito honrado.

Sem mais,

segunda-feira, 1 de março de 2010

Sports and Soundtrack

Acho que um erro de meus blogs anteriores foi falar muito de mim. Talvez eu não seja tão interessante quanto penso. Tentarei abordar temas variados aqui. Esse post é sobre esportes e trilhas sonoras (entenda por trilha sonora a presença ou não de sons que acompanham certo momento de sua vida e não apenas a "musiquinha de fundo do filme que vi ontem").
Sim, existe uma forte conexão entre esportes e sons. Tenistas necessitam da ausência dele para se concentrarem - o silêncio absoluto (e os torcedores, em geral, respeitam isso). Jogadores de basquete escutam seus iPods nos vestiários como forma de motivação (ver http://www.youtube.com/watch?v=UKnolC_PrPU). Academia combina com músicas eletrônicas como a ótima "Gramophonedzie - Why don't you".
Sou adepto da prática de esportes e sinto muita falta ao ir academia sem meu iPod. Existem estudos que comprovam a relação entre a motivação para malhar (por exemplo) e a música que você escuta. Ela afeta nosso cérebro a ponto de arrepiar nossos pêlos. Afeta nossa mente positiva ou negativamente. Cabe a nós escutarmos o que gostamos para animarmos ou para aquele momento "fossa".
Aliás, iPodear é um hábito que se cria. Eu fui, por muito tempo, avesso ao iPod. Usava mp3s players tranquilamente com a desculpa de que em São Paulo, o fone branco do iPod é muito chamativo e atrairia batedores de carteira/iPod. Até que fui morar nos EUA e não resisti à tentação tecnológica da Apple. Mas o debate sobre o fascínio que o iPod exerce sobre a humanidade será alinhado em um próximo post.
Convenhamos. Eu escutaria música até na minha cova. Eu levaria meu iPod no vestibular se pudesse. Música combina com quase tudo. É a Honda Bizz do Showbizz.


Uma última dica:
- Para animar durante uma corrida: Miley Cirus - Party in the USA


PS: Vão perceber ao longo dos textos que escuto de tudo. Até Miley.

Um novo começo

Welcome to my new blog.


Acho que essa é, aproximadamente, a décima tentativa minha de criar um blog.
Apenas para efeito de explicação, "Bilola" é um termo muito utilizado no meio que convivo para designar "Mentira".
Termo esse que tem uma explicação histórica e será explanado melhor futuramente.
O intuito desse blog é discutir coisas inúteis que levem a considerações úteis acerca de assuntos instigantes.
Entre minhas discussões preferidas estão: Bilolas (Mentiras), Mulheres, Esportes e Música.
Tentarei fazer um mix das 4 coisas que me considero, se não um expert, um "amador" do gênero.
Começo também indicando outros 2 blogs a serem seguidos:
http://www.manualdocafajeste.com/ (de autoria do Cafa - ignorem o fato do blog ser "para mulheres")
- Esse blog relata fatos muito engraçados do cotidiano de um cara que se considera um cafajeste.
Muitas são as teorias e termos usados para exemplificar a relação entre homens e mulheres.
http://www.desabafodei.blogspot.com/ (de autoria de Raquel Marques)
-Site da minha irmã. Pode considerar puxa-saquismo. Mas eu adoro. Tanto o Blog como ela.
Ela debate e discute teorias compostas por ela. Pode soar bobinho, mas ela escreve bem e sempre tem ideias que me inspiram ou, pelo menos, abrem minha mente.


Sem mais,